Detalhes de um dia de flores e véus


Fonte: Lápis de Noiva
O dia estava lindo: o céu brilhava em tons de azul e branco; o sol se refletia na grama, deixando-a mais verde do que o comum para aquela época do ano; algumas espécies de flores se abriam para exalar seus perfumes adocicados e embriagar os polinizadores. A sensação que aquele cenário dava a Desireè era que tudo dali para frente daria certo e, a escolha de mudar sua vida tão de repente, estava mais do que certa.
Afinal, ela conhecia Rafael há mais de cinco anos e o amava desde a primeira vez que o viu. Ela sabia que aquele garoto tímido, mas que tinha o sorriso mais lindo do mundo, nasceu para ser amado. Ele precisava disso a todo momento - era o mais romântico dos dois. Dizia todos os dias que Desireè era linda porque era; dizia que a amava toda noite antes de dormir; mostrava seu amor por ela, amando também a sua família em um grau tal que seus pais diziam que ele era mais filho deles do que a própria Desireè... E ela também o amava: o seu sorriso, seu amor e preocupação pela família, sua paz interior, sua benevolência. 
Hoje, ela iria se casar com Rafael. Naquele mesmo cenário do início: a grama verde, os polinizadores, o céu azulado. Desireè só se preocupava com duas coisas para aquele dia especial: a decoração e as fotografias. Ela queria eternizar para sempre o dia em que se aproximou ainda mais de Rafael e, para isso, precisava de um ambiente harmonioso e bonito de acordo com o gosto dos dois e uma equipe de fotógrafos ousados que fariam fotos lindas de tudo aquilo.
Rafael, ao contrário da sua noiva, preocupava-se com apenas um detalhe: os convidados. Os dois haviam chamado as pessoas mais queridas que tinham em suas vidas e ele queria muito que todos comparecessem em seu casamento. A família dos dois, os amigos de infância, os amigos de adolescência, os amigos da faculdade, os amigos do serviço, os amigos de outros lugares que eram amigos, porque eram amigos. 
Para a alegria do noivo, todos vieram e se deslumbraram com os pedidos da noiva. Mais tarde, eles sairiam da festa com a sensação de terem feito parte de um verdadeiro conto de fadas. A decoração era esplêndida e tudo harmonizava com a natureza do local tão bem que parecia que fadinhas construíram tudo para celebrar o amor dos dois. Havia muitas flores e pinhas. Havia muitos tons de verde, rosa e azul. Havia um cheirinho de canela que lembrava biscoitos de Natal no forno.
E a noiva estava linda. Seus cabelos em tranças grossas pelas costas, recheado de florzinhas e uma coroa de flores do campo para segurar o véu. O vestido de mangas compridas de renda era levemente rodado e parecia feito por uma fada madrinha moderna. O buquê era de girassóis, as flores favoritas de Desireè.
O noivo estava muito ansioso, mais bonito também. Seus cachos estavam tão arrumados que ele parecia o menino de sete anos que aguardava pela primeira comunhão. Seu terno clarinho harmonizava com a decoração, o que faria seu amor muito feliz. Só suas unhas que sofriam: estavam em carne viva pelas vezes que ele as roera nos dez minutos que Desireè havia se atrasado.
A cerimônia começou com a versão linda da música dos dois: "When you love someone, your heart bit bit so loud!". Os músicos também estavam bonitos. Os convidados também tinham unhas roídas, porque estavam ansiosos demais, porque amavam muito aquelas duas crianças que decidiram de repente brincarem de gente grande. 
A noiva entrou. O noivo parou de respirar por dois segundos. Ele disse a ela: "Você é meu Raio de Sol e eu te amo muito". Ela sorriu para ele e disse: "Você é meu milagre. Obrigada, te amo muito". O cerimonialista começou - os dois tinham religiões diferentes e concordaram que as duas deveriam surgir na cerimônia suavemente pelas palavras daquele homem - e eles, enfim, se casaram.
Fotos, fotos, fotos.
Cumprimentos, agradecimentos, sorrisos, lágrimas, brincadeiras com piadas internas, choros de crianças cansadas, comida, conversa, fotos, lives para o Instagram, música, dança, chinelos, copos transbordando, mais comida, mais conversa, mais risadas, foto descabelada, despedidas - "até mais tarde" "até amanhã" "vocês são incríveis" - todos entram na casa do campo alugada para aqueles dias, luzes apagadas, fim.

Comentários

  1. Escritora querida, precisa contatar uma editora, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe alguma editora pequenina e estilosa esteja lendo meu blog agora e queira me contratar?

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas