Mary Poppins, P. L. Travers

Sinopse: Uma das personagens mais originais e universalmente amadas da ficção infanto juvenil agora na coleção Clássicos Zahar
Carregando uma maleta e um guarda-chuva, Mary Poppins entra em cena voando. Literalmente. Gravada no imaginário das crianças de várias gerações, essa chegada fabulosa da peculiar babá da família Banks abre as portas para muitas outras surpresas e aventuras, como a história da Vaca Dançante, o aniversário no zoológico, um chá da tarde nos ares, delicados remendos no céu noturno... Mary Poppins é durona e misteriosa - e absolutamente irresistível.
Publicado em 1934, o livro foi um sucesso imediato e desde então fascina leitores de todas as idades - sobretudo após a adaptação de Walt Disney para o cinema. Essa edição inclui todas as ilustrações originais de Mary Shepard e conta com tradução, apresentação e notas do escritor Joca Reiners Terron, além de cronologia de vida e obra de P.L. Travers. Como extra, traz ainda uma palestra da autora sobre (não) escrever para crianças.
-----------------------------------------------
Bonjour, bem vindos a mais uma resenha do La Petite Souris!
Mary Poppins era um livro que estava na minha lista de desejos há muito, muito tempo. Contudo, era bastante difícil encontra-lo no Brasil para vender e, quando finalmente a editora Zahar (uma das minhas favoritas) decidiu publicá-lo em uma edição especial, o preço foi um fator limitante para que eu pudesse adquiri-lo de imediato. Apenas quando fui à Feira do Livro da USP no ano passado, famosa por seus descontos de mais de 50% nos livros, é que pude comprar Mary Poppins e fazer desse livro uma das minhas leiturinhas especiais de férias.
Mas, quais foram as minhas conclusões pós leitura?
A edição da Zahar é uma primazia, não posso dizer o contrário. O cuidado que a editora tem em produzir folhas de guarda com a mesma paleta de cores da capa, além de trazer nelas cenas essenciais da trama, já haviam ganhado meu coração quando li Peter Pan e não foi diferente agora. Além disso, as ilustrações ficaram bem posicionadas em relação ao texto e, pelo que eu me lembre, não houve nenhum erro de digitação ou tradução no livro.
Mas, mais do que a edição fofa da Zahar que me dará orgulho quando os meus filhos lerem esse livro daqui há uns anos, a estória de Mary Poppins me conquistou de uma maneira que faz jus ao fato de Walt Disney ter esperado por anos que P.L. Travers concedesse e "aprovasse" seu filme. Mary Poppins é um retrato delicado, verdadeiro e mágico da educação infantil e do papel da babá na vida de uma criança.
A protagonista que empresta seu nome ao livro é cativante, mas de uma maneira não convencional. Ela não é a mulher perfeita: Mary Poppins é orgulhosa, vaidosa, impaciente e mandona. Ela conduz as crianças com rédeas curtas, não permitindo que elas façam perguntas demais e colocando-as em um ritmo de vida ordenado. Porém, quando ela abre espaço para a magia e a imaginação, algo que lhe é tão natural que Mary não admite que lhe façam perguntas sobre como tudo aquilo acontece, o livro muda e torna-se uma obra prima da literatura infantil.
As cenas do livro (os capítulos não possuem ligação entre si, apenas por terem os mesmos personagens passando por situações diferentes juntos), são verdadeiras enquanto admitirmos a existência da magia e tem o potencial de agradar tanto adultos quanto crianças. O meu capítulo favorito é aquele em que os bebês da família Banks são convidados a "falar". É tão delicado e criativo a forma como P.L. colocou a visão dos bebês em relação ao mundo, mais, como a autora criou o fato de que perdemos a magia ao completarmos um ano, o que explica tudo.
Em resumo, Mary Poppins é um livro para se levar para a vida inteira. Infelizmente, ainda não tive a oportunidade de assistir à adaptação da Disney com a Julie Andrews, mas pelo que li de outras pessoas, a personagem de Mary não tem nada a ver com a do livro. Se for assim, não sei se é algo bom ou ruim... Quando eu assistir, faço um capítulo especial no Souris dando a minha opinião mais concreta.
E você, já leu ou assistiu à Mary Poppins? Se sim, comente o que você achou, por favor.
Muita magia e amor.

Comentários

  1. Olá Bruna,
    Adorei ler sua resenha, sou uma grande fã da adaptação do filme da Disney, mas não tive a oportunidade de ler essa obra ainda, vejo que essa edição está linda mesmo! A Zahar não é minha editora favorita mas fico encantada com o qual diferenciado é a arte dos livros deles...

    Seria pedir demais uma resenha sua de Peter Pan? Eu sou apaixonada por essa história também, e estou curiosa para saber o que você achou dela :]

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é pedir demais, miss Bia, de forma nenhuma! Eu adoro Peter Pan e o livro de J.M Barrie tornou-se o meu favorito dentro da categoria infantil. Fiquei curiosa para saber qual é a sua editora de livros favorita, miss Bia!
      Beijos açucarados.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas